As lagoas têm jeito

    A população quer respostas !

    1515

    Hoje 02.09, sábado pela manhã grande número de moradores da Barra da Tijuca e de outra regiões do Rio se reuniram em frente ao pier do Quebra Mar na Barra da Tijuca.

    Em torno de 200 pessoas entre crianças e adultos de todas as idades compareceram por volta das nove horas da manhã onde o objetivo foi debater e reivindicar direitos com relação ao meio ambiente no Rio de janeiro.

    Através de encontros nas redes sociais a data foi marcado a cerca de um mês e segundo os participantes a adesão foi boa. O que foi inclusive debatido é que não estavam levando em conta apenas o número de pessoas mas o interesse e a participação das  pessoas envolvidas.

    O que chamou atenção inclusive foi a forma de manifestação sem nenhum tipo de menção político-partidária, não foi citado nomes de governador, prefeitos, etc. O quem mais questionado era não cumprimento das leis que já existem independente de que
    governante ou partido que esteja no poder. Segundo falado no evento leis existem só que não cumprem.

    O propósito

    Através de uma escada improvisada, Mario Moscatelli (biólogo) tomou a palavra e questionou os anos e anos de batalha em favor da despoluição do complexo lagunar de Jacarepaguá, segundo Moscatelli, o valor investido só no complexo esportivo do Maracanã durante para preparação para os Jogos Olímpicos regularizariam o sistema. Em uma das faixas no local questionava-se o título cidade olímpica dada ao Rio de janeiro, onde não se percebeu nenhum efeito real e mensurável em relação ao meio ambiente, como prometido e fazia parte do program. Ao contrário, segundo Moscatelli, o sistema está falido e prestes a entrar em colapso. Chamou atenção pela urgência de tomar ações.

    A CEDAE

    Em um dos questionamentos entre os participantes sobre o papel da CEDAE, Moscatelli explicou que infelizmente a Cedae deveria só cobra o uso de águas da população mas sem ser um órgão efetivo na proteção do meio ambiente no setor das águas com a despoluição, mas se tornou um órgão viciado apenas de fornecimento de água e cobrança pelo serviço.

    A situação para Moscatelli é de vexame, “Vivemos o fim das lagoas da região, sacrificando o que ainda resta no interior das mesmas, mas parece que tudo está normal, como se isso fizesse parte da paisagem do Rio de Janeiro do século XXI.
    Pobre da fauna e de nós…”,  disse Moscatelli.

    Evento democrático

    Chamou a atenção a grande participação e a presença de professores e alunos de colégios, crianças e adultos , profissionais de várias áreas, imprensa, comerciantes e o interesse dos participantes, já que o evento que começou às nove horas se estendeu mesmo depois de encerrado, os participantes continuaram no local conversando e trocando ideias de melhorias e ações efetivas, principalmente de cobranças das autoridades.

    Questionamento oficial

    Durante o pronunciamento de Mario Moscatelli, em determinado momento, foi chamado a presença da advogada da OAB da Barra da Tijuca onde lhe foi entregue, em mãos, um documento com reivindicações que será encaminhado ao Ministério Público Federal e Estadual. Após a entrega e a palavra da advogada, ficou combinado que será informado o nome e dados de contato como e-mail, telefone e endereço para correspondência da autoridade responsável para tocar adiante o processo e que seria divulgado estes dados a todos os participantes e pelas redes sociais para que a pressão seja feita por parte da população com cobranças de resultados.

    Forneceremos a cópia do documento enviado ao MP, brevemente.

    O útil e o agradável

    Por fim, ao final do evento, o local propício permitiu aos participantes curtirem o visual da praia, ainda possível, e ver as ondas bem fortes e grandes estourando nas rochas do Quebra Mar, em fim, o passeio e o dever cumprido.

    L.C.Bruno
    Editor da Revista Ato e Reflexo
    SHARE
    Previous articleTravessia Petrópolis x Teresópolis
    Next articleCircuito promove longevidade com saúde
    Formado em Comunicação Social, com experiência na área editorial e comercial de grandes veículos como Veja Rio, Extra, JB e outros veículos de menor porte. Trabalhou em agência de publicidade vinculada a grandes veículos. Vários cursos e estudos em diversas áreas como marketing, administração de empresas, artes, teologia e línguas. Interessado em buscar a Verdade e o valor da informação, toma gosto pelo jornalismo, e apesar de ser amante do esporte, reconhece a necessidade de enfocar outros temas relacionados. Nada é isolado.

    LEAVE A REPLY

    Please enter your comment!
    Please enter your name here